Perder peso durante e após a menopausa pode parecer impossível.  Alterações hormonais, estresse e processo de envelhecimento, tudo isso parece estar indo contra este objetivo.

No entanto, algumas dietas podem facilitar a perda de peso durante esse período.

Mas antes vamos saber por que a menopausa dificulta a perda de peso?

A menopausa começa oficialmente quando a mulher não realiza um ciclo menstrual há 12 meses. Nessa época, já pode ser bem difícil perder peso, mas muitas mulheres percebem que começam a ganhar peso durante a perimenopausa, que pode começar bem antes da menopausa.

Mas por que isso acontece?

Vários fatores desempenham um papel no ganho de peso em torno da menopausa, incluindo:

– Flutuações hormonais: níveis elevados e muito baixos de estrogênio podem levar ao aumento do armazenamento de gordura (de acordo com pesquisas da Universidade de Sydney, Austrália);

– Perda de massa muscular que ocorre devido à idade, alterações hormonais e diminuição da atividade física (de acordo com o Instituto Universitário de Geriatria de Sherbrooke,  Canadá);

menopausa-como-manter-o-peso-ideal-atraves-da-dieta-4

– Sono inadequado: muitas mulheres têm problemas para dormir durante a menopausa, e o sono ruim está relacionado ao ganho de peso (de acordo com estudos do St. Luke’s-Roosevelt Hospital, New York, EUA);

– Maior resistência à insulina: as mulheres geralmente se tornam resistentes à insulina à medida que envelhecem, o que pode dificultar a perda de peso (de acordo com estudos da  Northwestern University Feinberg School of Medicine, Chicago, EUA)

Além disso, de acordo com estudos da  “Northwestern University Feinberg School of Medicine”, em Chicago, EUA,  o armazenamento de gordura muda dos quadris e coxas para o abdômen durante a menopausa. Isso aumenta o risco de síndrome metabólica, diabetes tipo 2 e doenças cardíacas

Portanto, estratégias que promovem a perda de gordura abdominal são particularmente importantes nesta fase da vida de uma mulher.

VEJA TAMBÉM: 7 ALIMENTOS QUE ALIVIAM OS SINTOMAS DA MENOPAUSA

Saiba mais:

menopausa-como-manter-o-peso-ideal-atraves-da-dieta

Embora possa ser tentador tentar uma dieta de baixas calorias para perder peso rapidamente, essa não é a melhor opção na menopausa.

Nessa fase, calorias são importantes, e dietas de baixa caloria não funcionam bem a longo prazo, isso porque as mulheres precisam de nutrientes de vários grupos alimentares para ter uma boa saúde.

Pesquisas do Instituto de Medicina Nutricional, da Universidade de Hohenheim, Stuttgart, Alemanha, mostram que restringir as calorias a níveis baixos causa perda de massa muscular e um declínio adicional na taxa metabólica.

Portanto, embora dietas com baixas calorias possam resultar em perda de peso a curto prazo, seus efeitos na massa muscular e na taxa metabólica dificultam a manutenção do peso.

Além disso, a ingestão insuficiente de calorias e a diminuição da massa muscular podem levar à perda óssea. Isso pode aumentar seu risco de osteoporose.  

Então o que fazer?

A adoção de um estilo de vida saudável que possa ser mantido a longo prazo pode ajudar a preservar a taxa metabólica e reduzir a quantidade de massa muscular que a mulher perde com a idade.

Conheça agora dietas saudáveis que funcionam bem durante a menopausa

Aqui estão três dietas saudáveis que podem ajudar na perda de peso durante e na transição da menopausa.

VEJA TAMBÉM: QUAIS ALIMENTOS EVITAR NA MENOPAUSA

1 – Dieta com poucos carboidratos

Estudos da Universidade do Alabama (EUA), demonstraram que dietas com baixo teor de carboidratos são excelentes para perda de peso e também são capazes de reduzir a gordura abdominal.

Em um desses estudos,  feito  pela Universidade de Umeå, na Suécia, as mulheres na pós-menopausa com uma dieta baixa em carboidratos perderam 9,5 kg,  ou seja, 7% da gordura corporal e 9,4 cm da cintura em 6 meses

2 – A dieta mediterrânea

menopausa-como-manter-o-peso-ideal-atraves-da-dieta-2

Embora a Dieta Mediterrânea seja mais conhecida por melhorar a saúde e reduzir o risco de doenças cardíacas, um estudo publicado em “The New England Journal of Medicine” mostrou que ela também pode ajudar a perder peso.

3 – Dietas vegana e vegetariana

Dietas vegetarianas e veganas também se mostraram promissoras para a perda de peso, de acordo com estudos da Universidade da Carolina do Sul (EUA).

Este estudo, feito em mulheres na pós-menopausa, relatou perda significativa de peso e melhorias na saúde entre um grupo designado para uma dieta vegana.

No entanto, também foi demonstrado que uma abordagem vegetariana mais flexível, que inclui laticínios e ovos, funciona bem em mulheres na menopausa.  

Como você viu, é perfeitamente possível perder de peso durante a menopausa. Basta adotar uma dieta saudável e bons hábitos de vida como prática regular de exercícios e atividades prazerosas.

Se você gostou deste conteúdo, repasse-o para suas amigas que estão na menopausa, afinal compartilhar saúde é Vital!

Essa publicação não dispensa a orientação de um profissional da saúde capacitado.

Referências
M.L. Maltais, J. Desroches, I.J. Dionne (2009). Changes in musclemassandstrengthaftermenopause. J Musculoskelet Neuronal Interact 9(4):186-197.
O’Sullivan, A. J. (2009). Does oestrogenallowwomento store fat more efficiently? A biologicaladvantage for fertilityandgestation. Obesity Reviews, 10(2), 168–177.
Shechter, A., O’Keeffe, M., Roberts, A. L., Zammit, G. K., RoyChoudhury, A., &St-Onge, M.-P. (2012). Alterations in sleeparchitecture in response to experimental sleepcurtailment are associatedwithsignsof positive energy balance. American JournalofPhysiology-Regulatory, IntegrativeandComparativePhysiology, 303(9), R883–R889.
Mauvais-Jarvis, F., Clegg, D. J., &Hevener, A. L. (2013). The Role ofEstrogens in Controlof Energy Balance and Glucose Homeostasis. Endocrine Reviews, 34(3), 309–338.
Müller, M. J., Enderle, J., Pourhassan, M., Braun, W., Eggeling, B., Lagerpusch, M., … Bosy-Westphal, A. (2015). Metabolicadaptationtocaloricrestrictionandsubsequentrefeeding: the Minnesota StarvationExperimentrevisited. The American JournalofClinicalNutrition, 102(4), 807–819.
Gower, B. A., &Goss, A. M. (2014). A Lower-Carbohydrate, Higher-Fat Diet Reduces Abdominal and Intermuscular Fat andIncreasesInsulinSensitivity in Adultsat Risk ofType 2 Diabetes. The JournalofNutrition, 145(1), 177S–183S.
Mellberg, C., Sandberg, S., Ryberg, M., Eriksson, M., Brage, S., Larsson, C., … Lindahl, B. (2014). Long-termeffectsof a Palaeolithic-type diet in obesepostmenopausalwomen: a 2-year randomizedtrial. EuropeanJournalofClinicalNutrition, 68(3), 350–357.
Shai, I., Schwarzfuchs, D., Henkin, Y., Shahar, D. R., Witkow, S., Greenberg, I., … Stampfer, M. J. (2008). WeightLosswith a Low-Carbohydrate, Mediterranean, orLow-Fat Diet. New EnglandJournalof Medicine, 359(3), 229–241.
Turner-McGrievy, G. M., Davidson, C. R., Wingard, E. E., Wilcox, S., &Frongillo, E. A. (2015). Comparativeeffectivenessofplant-based diets for weightloss: A randomizedcontrolledtrialoffivedifferent diets. Nutrition, 31(2), 350–358.