Vamos fazer um teste? Complete a frase: “O cérebro humano é composto por quase 60% de ____________”. Se você não respondeu gordura, não se preocupe. Pouca gente sabe disso. Mas agora que você sabe, temos uma ótima notícia! É possível “turbinar” seu cérebro com a ingestão de ômega 3.

A gente explica:

O cérebro contém mais de 100 bilhões de células, e os ácidos graxos ômega-3 são os blocos de construção delas. A importância do consumo, é que o ômega 3 não é produzido pelo corpo.  Ele contém três ácidos graxos essenciais: ALA (Ácido alfa-linolênico) EPA (ácido eicosapentaenoico) e o DHA (ácido docosaexaenoico).  

O EPA e o DHA são particularmente importantes para a manutenção da função cerebral em adultos. Estas gorduras promovem a formação de novas células cerebrais, auxiliam na produção das membranas celulares e aumentam sua fluidez. Com isso, o cérebro fica mais apto a receber e processar novas informações.

por-que-nosso-cerebro-precisa-de-omega-3

Além disso, o ômega 3 (nas membranas celulares) ajuda no bom funcionamento dos neurotransmissores, que facilitam a comunicação das informações no cérebro. E mais: estudos preliminares mostraram que o ômega 3 pode aumentar o hormônio do crescimento do cérebro, o que pode aumentar a produção de neurotransmissores e protegê-los da destruição.

Se o seu cérebro não estiver com a quantidade suficiente deste tipo de gordura, ele poderá demorar mais para responder aos estímulos. O problema é que, com o tempo, ele poderá adotar este ritmo como seu padrão normal de funcionamento e aí podem surgir problemas como: falta de memória, dificuldade de concentração, queda do desempenho cerebral e cognitivo e até doenças como mal de Alzheimer, depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia e transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH).  Vários estudos epidemiológicos associaram baixos níveis de ômega 3 em indivíduos com essas condições de saúde.

Conheça mais benefícios do ômega 3 para a saúde do cérebro

Depressão: a ingestão elevada de EPA e DHA está associada com o aumento do volume de matéria cinzenta nas regiões cerebrais que controlam a depressão e o humor. Já foi constatado que o consumo adequado do ômega 3 é capaz de melhorar o controle das emoções e do humor, minimizando sintomas depressivos, insônia e falta de libido, que são queixas frequentes em pacientes com depressão e ansiedade;

por-que-nosso-cerebro-precisa-de-omega-33

Crianças: o DHA é particularmente importante nos dois primeiros anos de vida e primeira infância. Isso porque entre o nascimento e os cinco anos de idade, o cérebro humano aumenta aproximadamente 3,5 vezes na sua massa total.  A explicação dos pesquisadores, é que as gorduras representam 60% do cérebro e do sistema nervoso do corpo, e o DHA é o principal componente da estrutura do tecido cerebral;

Gestantes: estudos mostram que a complementação da dieta das mulheres grávidas com DHA e EPA, pode beneficiar o desenvolvimento visual e cognitivo no bebê, além disso reduzir o risco de alergias. E mais: mães que fizeram uso desta substância durante a gravidez (enquanto o cérebro do feto estava em desenvolvimento), tiveram filhos com melhores resultados em testes de vocabulário e inteligência, tanto na pré-escola quanto nos anos seguintes a este período.  Também foram observados benefícios após o parto: nas mulheres, níveis baixos de ômega-3, estão ligados a um risco aumentado de depressão pós-parto.

por-que-nosso-cerebro-precisa-de-omega-34

Mas como consumir o ômega 3?

por-que-nosso-cerebro-precisa-de-omega-32

Você pode e deve inserir em sua dieta todas as fontes de ômega 3 que puder. Se optar por suplementos de origem animal, com cápsulas de óleo de peixe, tenha a certeza de que o produto seja livre de metais tóxicos, certo? E mais: ao escolher um suplemento, busque por uma empresa idônea, responsável e transparente e atente-se sempre ao rótulo!

O ideal é optar por produtos com alta concentração de EPA e DHA que possam suprir o mínimo da concentração diária recomendada para sua saúde. Estes ativos devem ser obtidos através de bons suplementos, pois somente eles poderão proporcionar benefícios para seu cérebro e todo o corpo.

Além das funções cerebrais, eles podem atuar na melhora da saúde do coração, dos ossos e dos olhos, redução do colesterol e triglicérides e atuar na perda de peso e redução de medidas.

Finalizando, desconfie de produtos com preços muito abaixo do mercado: geralmente eles contêm uma quantidade insuficiente de EPA e DHA, (abaixo do recomendado para suas necessidades) e podem não ser isentos de metais tóxicos. Isso compromete os resultados que um bom suplemento traria para sua saúde.

Agora que você já sabe mais sobre a importância do ômega 3 para o seu cérebro, inclua este nutriente na sua dieta! Repasse esse conteúdo para sua família e amigos para que eles também possam se beneficiar desta substância, afinal compartilhar saúde é Vital!

Referências:
Horrocks, l. A., &Yeo, Y. K. (1999). Health BenefitsofDocosahexaenoicAcid (dha). PharmacologicalResearch, 40(3), 211–225.
Chia-yu Chang, Der-ShinKe, Jen-Yin Chen, (2009), EssentialFattyAcidsandHumanBrain. Acta Neuro Taiwan;18(4): 231-41
Calder, P. C. (2010). Omega-3 FattyAcidsandInflammatory Processes. Nutrients, 2(3), 355–374.
Tanaka, K., Farooqui, A. A., Siddiqi, N. J., Alhomida, A. S., & Ong, W.-Y. (2012). EffectsofDocosahexaenoicAcidonNeurotransmission. BiomoleculesandTherapeutics, 20(2), 152–157.
Wu, A., Ying, Z., & Gomez-Pinilla, F. (2004). Dietary Omega-3 FattyAcids Normalize BDNF Levels, ReduceOxidativeDamage, andCounteract Learning DisabilityafterTraumaticBrainInjury in Rats. JournalofNeurotrauma, 21(10), 1457–1467.
Peet, M., & Stokes, C. (2005). Omega-3 FattyAcids in theTreatmentofPsychiatricDisorders. Drugs, 65(8), 1051–1059.
Kidd PM: Omega-3 DhaandEpa for Cognition, Behavior, andMood: ClinicalFindingsandStructural-FunctionalSynergieswithCellMembranePhospholipids. AlternMed Rev. 2007;12(3): 207-27.
Wyss-Coray, T., & Rogers, J. (2011). Inflammation in Alzheimer Disease–A Brief Review ofthe Basic Science andClinicalLiterature. Cold Spring Harbor Perspectives in Medicine, 2(1), a006346–a006346.
Simopoulos, A. . (2002). The importanceoftheratioof omega-6/omega-3 essentialfattyacids. Biomedicine&Pharmacotherapy, 56(8), 365–379.
Patterson, E., Wall, R., Fitzgerald, G. F., Ross, R. P., &Stanton, C. (2012). Health Implicationsof High Dietary Omega-6 PolyunsaturatedFattyAcids. JournalofNutritionandMetabolism, 2012, 1–16.
Como escolher um bom ômega?

A grande missão da Vital Âtman é promover a saúde

Baixe gratuitamente o e-book: Como escolher um bom ômega?

Baixe nosso E-book grátis