Quando se fala em Compulsão Alimentar, você pode até pensar que é um assunto muito distante do seu universo. Mas, se parar para pensar, você até pode ter tido, em algum momento da sua vida, sintomas da Compulsão Alimentar.

Alguma vez você se sentiu triste e por isso resolveu comer algum alimento que gosta compulsivamente?

Já se sentiu estressada e resolveu atacar a geladeira e devorar o que encontrasse pela frente?

Ou comeu rápido demais até se sentir mal?

Se você se identificou com uma destas perguntas, que tal saber mais sobre a Compulsão Alimentar e até passar a combatê-la desde já?

Então, o que é a Compulsão Alimentar?

É um transtorno alimentar em que a pessoa sente a necessidade de comer, de forma exagerada, grandes quantidades de alimentos.

A pessoa que sofre desta compulsão, ingere alimentos descontroladamente e se vê incapaz de parar, com episódios que podem durar 2 horas ou ocorrer na maior parte do dia.

Esta compulsão atinge homens e mulheres mas o que se observa é que é mais frequente entre os adolescentes e mulheres jovens.

quais-as-causas-da-compulsao-alimentar2

Você sabia que este é um problema comum entre os brasileiros?

Sim, a Compulsão Alimentar vem atingindo com mais frequência países industrializados, onde a cultura do consumo é mais disseminada. Este tipo de distúrbio é menos frequente em alguns países da Europa em que se preza a qualidade da comida e não a quantidade.

Também se notou que parte das pessoas que sofrem deste transtorno são obesas ou estão acima do peso. Isto porque, diferente da bulimia ou anorexia, as pessoas não provocam vômitos, não praticam exercício físico em excesso e nem comem pequenas quantidades de certos alimentos.

A Compulsão Alimentar ocorre geralmente com alimentos calóricos como, por exemplo, pizza, batata frita, doces, etc. É difícil a pessoa sentir uma vontade descontrolada de comer brócolis ou rabanetes!

Isto se dá porque a pessoa já se sente feliz só em saber que vai comer sem privações um alimento que realmente gosta, transformando-o em um refúgio contra suas emoções negativas.

Sintomas da Compulsão Alimentar

Existem algumas ações que as pessoas cometem, até mesmo sem pensar, que podem ser consideradas sintomas da Compulsão Alimentar. Veja algumas delas:

  •   Comer rápido demais;
  •   Comer mesmo sem estar com fome;
  •   Comer até se sentir mal;
  •   Comer continuamente o dia todo, sem ter horários planejados para as refeições;
  •   Comer pouco perto das pessoas e compulsivamente quando está sozinho;
  •   Se sentir culpado ou triste por ter comido demais;
  •   Guardar ou esconder alimentos para comer quando estiver sozinho;
  •   Fazer vários tipos de dietas muito rígidas que resultam em fracasso;
  •   Nunca estar satisfeito com o peso ou a aparência;
  •   A comida se torna um alívio para o estresse, solidão, medo, depressão e ansiedade.

Existem fatores de risco para este transtorno?

Sim! Como você observou na lista acima, os sintomas deste transtorno podem ser variados e divididos entre sintomas emocionais ou comportamentais.

Mas existem também alguns fatores de risco que podem impulsionar as pessoas a terem atos de consumo exagerado de alimentos, como por exemplo:

  •   Comer compulsivamente após fazer uma dieta;
  •   Ter baixa autoestima;
  •   Ter dificuldade em expressar necessidades;
  •   Estar mais vulnerável a comentários sobre seu corpo, alimentação e peso.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a Compulsão Alimentar, vamos identificar algumas causas.

maxresdefault

Causas da Compulsão Alimentar

Como se trata de um distúrbio alimentar, as causas não tem uma natureza definida. Cada pessoa pode fazer a combinação de diversos fatores, sejam  eles psicológicos, sociais ou biológicos que ajudam a impulsionar a Compulsão Alimentar. Mostraremos alguns deles:

  •   Dieta: As pessoas que fazem uso de dietas muito rígidas e restritivas, acabam, logo em seguida, desenvolvendo a Compulsão Alimentar. Como estas dietas são muito privativas, costumam gerar um sentimento de desânimo que acarreta na incapacidade de parar de comer mesmo quando se está saciado. Desta forma, a pessoa supre, com o excesso de comida, a tristeza que sentiu ao realizar a dieta;
  •   Estresse: As pessoas que são muito estressadas, podem, geralmente, ter momentos que as levem a comer compulsivamente. Este fato leva a um círculo vicioso em que a pessoa come para ficar menos estressada, se sente mais estressada por ter comido tanto e volta a comer para se sentir melhor;
  •   Depressão: Infelizmente, a depressão é um fator determinante para o início de uma Compulsão Alimentar. Pessoas que passaram ou passam por momentos depressivos são mais vulneráveis ao transtorno;
  •   Alimentação emocional: A Compulsão Alimentar também pode atingir pessoas que tem problemas com o peso ou que tem baixa auto estima. Pessoas que tiveram, em sua infância, o uso de alimentos como forma de conforto ou recompensa, também tendem a desenvolver este distúrbio;
  •   Problemas com a imagem corporal: Pessoas que sofrem com a Compulsão Alimentar geralmente não gostam de sua aparência. Sentem medo de engordar, se sentem constantemente gordas e, estes sentimentos, ocasionam tentativas frustradas de fazer dietas mirabolantes que acabam como gatilho para comer ainda mais.

Como você observou, a Compulsão Alimentar é um distúrbio sério e que, se não tratado, pode levar a vários problemas de saúde.

Aqui estão alguns deles:

  •   Ansiedade, depressão;
  •   Obesidade;
  •   Pressão alta;
  •   Diabetes tipo 2;
  •   Transtornos de personalidade;
  •   Colesterol alto;
  •   Doenças cardíacas;
  •   Doenças da vesícula biliar.

Woman choosing between a hamburger and salad

Mas o que fazer para se tratar?

O tratamento para a Compulsão Alimentar deve ter o acompanhamento profissional de especialistas em distúrbios alimentares e obesidade, como psiquiatras, psicólogos, médicos, nutricionistas e terapeutas.

Neste tipo de tratamento, o importante é que sejam tratados não somente os sintomas mas também as causas da Compulsão Alimentar.

O profissional vai direcionar o tratamento tanto para os aspectos físicos quanto para os emocionais.

Em alguns casos, será necessária a ajuda de medicamentos para controlar o distúrbio. Estes medicamentos são utilizados para inibir o apetite, controlar a ansiedade, fobia ou depressão severa.

Existe uma forma de se prevenir contra a Compulsão Alimentar?

Sim, existe e deve começar já na infância! Os pais têm que se policiar ao alimentar seus filhos. É importante ressaltar que os alimentos não devem ser dados aos filhos como forma de recompensa.

Outra fase em que se pode prevenir este distúrbio é na adolescência, pois é nesta fase que os jovens se preocupam muito com a aparência e os padrões de beleza estabelecidos pela sociedade. Os pais devem orientar os filhos a não se deixarem afetar por estes conceitos.

Ensinar bons hábitos alimentares é muito importante não só para prevenir distúrbios alimentares mas também para garantir uma vida saudável para você e sua família!

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a Compulsão Alimentar, compartilhe este texto com seus amigos, sua família e espalhe saúde por aí!

 

Fontes:
www.marisapsicologa.com.br
www.disturbiosalimentares.com