Sintomas como fadiga, dificuldades em dormir e se concentrar, constipação e cãibras, podem ser sinais do seu corpo para sinalizar a deficiência de magnésio no organismo.(1,2)

Este mineral está diretamente ligado à regulação dos nossos nervos, músculos e, até, no controle de glicose no sangue. Por isso, neste texto, você vai entender melhor como o magnésio desempenha funções essenciais no nosso corpo e a importância de suplementá-lo, caso seja necessário, para a prevenção de doenças.(1)

Vamos lá?

Muito se fala de alguns minerais e vitaminas super importantes para o bom funcionamento do nosso organismo, como a vitamina D e o cálcio, mas, muitas vezes, outros elementos extremamente importantes para o bom funcionamento do corpo humano não são tão abordados assim e é sobre um deles que vamos falar hoje.(3, 4, 5,)

Resultados obtidos a partir de uma análise feita por pesquisadores de universidades chinesas apontam que pessoas com maior presença de magnésio no organismo têm menor risco de serem “vítimas” de derrame, insuficiência cardíaca, diabetes tipo 2 e morte precoce. (4)

Mas, por que o magnésio é tão importante assim?

Existem diversos motivos!

Ele é o quarto mineral mais encontrado no nosso corpo e o segundo mais encontrado dentro das nossas células. Cerca de 300 enzimas dependem da presença do magnésio, além de ele estar ligado à função de vários outros minerais, como cálcio, fósforo, zinco, cobre, ferro, chumbo e cádmio. Grande ativador de sistemas enzimáticos, contração muscular e transmissão nervosa, o magnésio atua em funções digestivas, cerebrais e imunológicas, além de ter papel importantíssimo na saúde dos ossos.(1)

Veja algumas funções importantes que ele desempenha:(1,3, 9)

  • melhora na saúde dos ossos, ajudando na prevenção da osteoporose;
  • participa do metabolismo da glicose, auxiliando na prevenção da resistência insulínica e, consequentemente, do diabetes;
  • contenção de contrações uterinas, evitando partos prematuros;
  • melhora no desempenho físico;
  • possui importante papel na função cardíaca;
  • geração de energia para o corpo;
  • atua na contração e relaxamento dos músculos;
  • é necessário para a atividade hormonal do organismo.

Onde tem magnésio? (1, 3, 5)

  • Oleaginosas (amêndoas, avelã, castanhas e amendoim);
  • Sementes de abóbora e girassol;
  • Frutas (banana, abacate, mamão e kiwi);
  • Grãos (arroz integral, aveia e trigo integral);
  • Vegetais folhosos (couve, espinafre, abóbora, brócolis e outros);
  • Leguminosas (feijão, soja e lentilha);
  • Leite, iogurte e derivados;
  • Chocolate amargo;
  • Sardinha, bacalhau e outros.

qual-a-importancia-do-magnesio-no-corpo-e-quando-suplementar

Como saber se estou com deficiência de magnésio? 

Grande parte das pessoas que está com o nível deste mineral baixo ou insuficiente não sabe.

Isso porque diversos sinais que indicam a deficiência podem ser confundidos com outros fatores, dificultando o diagnóstico.

Os sintomas mais comuns da falta de magnésio no organismo são:(1, 2)

– fadiga;

– insônia;

– fraqueza muscular;

– enxaqueca;

– cãibra;

Manter a rotina de prevenção em dia, por meio de acompanhamento médico e nutricional, é o melhor caminho para a descoberta da deficiência de magnésio no corpo.

E o que causa a deficiência de magnésio no organismo?

A alimentação é um dos fatores mais determinantes na ingestão de magnésio.

Alimentos processados e industrializados, muito presentes na nossa rotina, além de pesticidas e solos pobres neste mineral são alguns dos motivos que dificultam e/ou diminuem a quantidade de magnésio ingerida.(1,6)

qual-a-importancia-do-magnesio-no-corpo-e-quando-suplementar

Então, como podemos aumentar a ingestão deste mineral na alimentação? A suplementação é uma grande aliada para atingir a quantidade de magnésio necessária para o corpo!

A quantidade diária necessária de magnésio no nosso organismo não é tão alta, tornando essa uma missão menos complicada, porém, a suplementação deste mineral pode ser uma ferramenta poderosa para facilitar e garantir a ingestão diária recomendada, principalmente se aliada a bons hábitos alimentares.

Para uma mulher adulta, a ingestão média diária recomendada de magnésio é de 310mg a 320mg, já para os homens nesta mesma faixa etária, de 400mg a 420mg. (5)

Um ponto muito importante em que a suplementação também se faz necessária é que, com o passar dos anos, pode haver a diminuição da absorção intestinal e maior excreção renal, aumentando, assim, a possibilidade de deficiência em magnésio. (7, 8)

Minerais quelados e a melhora na absorção do magnésio. 

Quando ingerimos este mineral de maneira inorgânica, seja por meio da alimentação ou por suplementos que contém minerais na forma inorgânica, sua capacidade de absorção pode ser menor. E o que significa inorgânico nestes casos? É quando acontece a interação dos minerais com outros minerais ou compostos químicos, o que pode diminuir sua biodisponibilidade. Alguns exemplos: a absorção de ferro pode ser dificultada pelo cálcio e o zinco diminui a absorção do cobre. (9, 10, 11)

A quelação é caracterizada pelo processo de união entre o mineral com agentes quelantes (aminoácidos, peptídeos, ácido etileno-minoteraacético (EDTA) e polissacarídeos complexos), que pode aumentar o aproveitamento e a absorção do mineral pelo organismo. Um exemplo para maior e mais rápida absorção do magnésio é sua união com a glicina (um aminoácido). (9, 10, 11)

Visto tudo o que falamos, fica evidente o quanto este mineral é Vital para a prevenção de doenças e regulação do nosso organismo, não é mesmo?

Promover a saúde integral por meio de nossos produtos e serviços faz parte da nossa missão e, por isso, em breve, você será surpreendido com uma novidade. Aguarde!

FONTES:
  1. CAMPOS, Bruna Aline de. Benefícios do magnésio para a saúde. Assis, 2012.https://cepein.femanet.com.br/BDigital/arqTccs/0711290893.pdf>. Acesso em 28 jul. 2020.
  1. Conheça nove sinais da falta de magnésio no corpo. Vital Âtman, 2018. Disponível em <https://blog.vitalatman.com.br/conheca-nove-sinais-da-deficiencia-de-magnesio-no-corpo/>. Acesso em 28 jul. 2020.
  1. BERGAMO, Karolina. Magnésio na dieta afasta doenças cardíacas, AVC e diabetes. Veja Saúde, 2016. Disponível em <https://saude.abril.com.br/alimentacao/magnesio-na-dieta-afasta-doencas-cardiacas-avc-e-diabete/>. Acesso em 28 jul. 2020.
  1. LISBOA, Silvia; RECKZIEGEL, Tatiana. Dá-lhe magnésio.Veja Saúde, 2017. Disponível em <https://saude.abril.com.br/alimentacao/da-lhe-magnesio/>. Acesso em 28 jul. 2020.
  1. Severo, Juliana Soares et al. Aspectos Metabólicos e Nutricionais do Magnésio. Nutrición Clínica Y Dietética Hospitalaria, 2015. Disponível em <https://revista.nutricion.org/PDF/352severo.pdf>. Acesso em 28 jul. 2020.
  1. Why we’re all deficient in magnesium, the many signs, & what to do. Collective Evolution, 2015. Disponível em <https://www.collective-evolution.com/2015/03/25/why-were-all-deficient-in-magnesium-the-many-signs-what-to-do/>. Acesso em 16 jul. 2020.
  1. MARQUES, Ana Teresa Paixão. Nutrição no idoso: a problemática dos micronutrientes. Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação – Universidade de Porto, 2003/2004. Disponível em <https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/54638/5/68451_04-39T_TL_01_P.pdf>. Acesso em 15 jul. 2020.
  1. TORRES, Andreia. Deficiência de magnésio em idosos. 2017. Disponível em <http://andreiatorres.com/blog/2007/07/08/deficiencia-de-magnesio-em-idosos>. Acesso em 15 jul. 2020.
  1. A importância dos minerais na alimentação. Disponível em <https://funcionaisnutraceuticos.com.br/upload_arquivos/201612/2016120406819001481553160.pdf>. Acesso em 15 jul. 2020.
  1. TORRES, Andreia. Suplementos minerais quelados: o que significa? 2017. Disponível em <http://andreiatorres.com/blog/2017/metal-quelado>. Acesso em 15 jul. 2020.
  1. LOPES, Natália. O que são minerais quelados. Nutritotal Pro, 2019. Disponível em <https://nutritotal.com.br/pro/o-que-sao-minerais-quelados/>. Acesso em 15 jul. 2020.