Cupom 15% OFF
Procurando data

Dieta mediterrânea

Eu Bem Melhor 18 de abril de 2019

Conheça substâncias naturais que combatem as inflamações!

Você sabia que muitas doenças que existem hoje em dia são provocadas por inflamações? Este é um processo que acontece no organismo que vai muito além dos sintomas mais conhecidos como vermelhidão, dor, edema e sensação de calor.

Só para você ter uma ideia, até mesmo a gordura, causada pelo excesso de peso, pode passar por um processo de inflamação e causar vários prejuízos ao corpo.

Por isso nesse blog post vamos explicar como funciona o processo de inflamação e mais: como substâncias naturais podem ajudar a combater esse problema. Veja!

Destaques, Eu Bem Melhor, Faz Bem Estar Bem, Isso é Vital 15 de março de 2016

Alimentos anti-inflamatórios

Os médicos estão aprendendo que uma das melhores formas para dominar a inflamação não está no armário de remédios, mas na geladeira.

Seu sistema imunológico ataca qualquer coisa em seu corpo que reconhece como estranho, como um micro-organismo invasor, pólen de plantas ou químicas, e este processo é chamado de inflamação. Impulsos intermitentes de inflamação são dirigidos aos invasores verdadeiramente ameaçadores para proteger a sua saúde.

No entanto, por vezes a inflamação persiste dia após dia, mesmo quando você não está sendo ameaçado por um micro-organismo estranho. É nessa hora que a inflamação pode se tornar sua inimiga. Muitas doenças graves que nos afligem, incluindo câncer, doenças cardíacas, diabetes, artrite, depressão e Alzheimer têm sido associadas a inflamação crônica.

Uma das ferramentas mais poderosas para combater a inflamação não vem da farmácia, mas da mercearia. “Muitos estudos experimentais têm mostrado que alguns componentes de alimentos ou bebidas podem ter efeitos anti-inflamatórios,” diz o Dr. Frank Hu, professor de nutrição e epidemiologia do Departamento de Nutrição de Harvard.

Escolha os alimentos certos, e você será capaz de reduzir os riscos de doença, assim como se escolher os errados, você poderá acelerar o processo inflamatório.

Alimentos promotores de Inflamação

Tente evitar ou limitar esses alimentos, tanto quanto possível:

  • carboidratos refinados, como pão branco e doces
  • batatas fritas e outros alimentos fritos
  • refrigerantes e outras bebidas adoçadas com açúcar
  • carne vermelha (hambúrgueres, carnes) e carne processada (linguiça, salsicha)
  • margarina, gordura e banha de porco

Não surpreendentes, os mesmos alimentos que contribuem para a inflamação são geralmente considerados ruins para a nossa saúde, incluindo refrigerantes, carboidratos refinados, bem como a carne vermelha e carnes processadas.

“Alguns dos alimentos que têm sido associados com maior risco para doenças crônicas, como diabetes tipo 2 e doenças cardíacas também estão associados com a inflamação em excesso”, diz Dr. Hu. “Não é surpreendente, uma vez que a inflamação é um mecanismo subjacente importante para o desenvolvimento dessas doenças.”

Alimentos não saudáveis ​​também contribuem para o ganho de peso, o que em si é um fator de risco para a inflamação. No entanto, em vários estudos, mesmo depois que os pesquisadores levaram em conta a obesidade, a ligação entre alimentos e inflamação permaneceu, o que sugere o ganho de peso não é o único culpado. “Alguns dos componentes dos alimentos ou ingredientes podem ter efeitos independentes sobre a inflamação e acima de tudo, o aumento da ingestão calórica”, diz Dr. Hu.

Os alimentos que combatem à inflamação

Inclua com abundância esses alimentos anti-inflamatórios em sua dieta:

  • tomates
  • azeite
  • ômega 3
  • vegetais de folhas verdes, como espinafre, couve e couve chinesa
  • nozes, como amêndoas e castanhas
  • peixes ricos em gordura como o salmão, atum, sardinha e arenque
  • frutas, como morangos, amoras, cerejas, mirtilos e laranjas
  • especiarias como cravo, gengibre, alecrim, cúrcuma, orégano, tomilho e alho


Os alimentos anti-inflamatórios, por outro lado, são os alimentos que mostraram reduzir o risco de inflamação e com ela, doenças crônicas, diz o Dr. Hu. Ele observa, em particular frutas e legumes, como mirtilos, maçãs e folhas verdes, que são ricas em antioxidantes naturais e compostos polifenóis protetores, encontrados em plantas.

Estudos também têm associado as nozes a redução de inflamação, menor risco de doença cardiovascular e diabetes, assim como o ômega 3 de fonte animal auxilia a reduzir o processo inflamatório e estresse oxidativo.

Consumir alimentos anti-inflamatórios

Para reduzir os níveis de inflamação, em geral, siga uma dieta saudável. Se você está procurando um plano alimentar que siga de perto os princípios de uma alimentação anti-inflamatória, considere a dieta mediterrânea, que é rica em frutas, legumes, nozes, grãos integrais, peixes e gorduras boas.

Além de diminuir a inflamação, uma dieta mais natural e menos processada, ​​pode ter efeitos significativos sobre a sua saúde física e emocional. “Uma dieta saudável é benéfica não só para reduzir o risco de doenças crônicas, mas também para melhorar o humor e qualidade de vida em geral”, diz Dr. Hu.

Delícia!, Destaques, Eu Bem Melhor, Faz Bem Estar Bem 13 de março de 2013

Entre na onda da Dieta Mediterrânea

Recentemente, os amantes da boa comida receberam uma excelente notícia: pesquisas realizadas pelo Hospital das Clínicas da Universidade de Barcelona revelaram que a dieta mediterrânea reduz em até 30% a chance de se desenvolver doenças relacionadas ao coração, como, por exemplo, o infarto, uma das causas que geram mais mortes no Brasil e no mundo, além de evitar o até mesmo o câncer.

Mas o que há de tão especial nessa dieta? A resposta é simples e não é nada além do que você sempre encontra aqui mesmo no blog “Eu Bem Melhor”: o segredo é comer bem e de forma equilibrada, recheando o prato do dia a dia com grande variedade de peixes, grãos, legumes, verduras, nozes, castanhas e, claro, óleos extravirgens.

E o que esses alimentos têm em comum? Além de serem ricos em vitaminas, a maioria desses ingredientes são fonte de gorduras boas, monoinsaturadas e poli-insaturadas. Por isso, quem segue a dieta do mediterrâneo ingere uma grande quantidade de ácidos graxos essenciais, que são os tipos de gorduras que precisam estar em nossas células para o bom funcionamento de todo o organismo.

O resultado disso é claro, assim como mostrou a pesquisa: diminuição das taxas do colesterol ruim, aumento das taxas do bom colesterol, redução de triglicérides no sangue, além de efeitos anti-inflamatórios, prevenindo e controlando várias doenças.

Óleos naturais

Clique na imagem conheça outros tipos tipos de óleos extravirgens da Dieta Mediterrânea

Se você está a fim de entrar na onda da dieta mediterrânea, uma boa dica para a sua alimentação são os óleos naturais extravirgens. É que não é apenas o azeite de oliva que traz benefícios à saúde. Outros tipos de óleos naturais extraídos a frio, como o Óleo de Linhaça, Óleo de Gergelim e o Óleo de Noz-Macadâmia  também apresentam grandes quantidades de ômegas, podendo auxiliar a saúde de todo o corpo.

Além disso, como os povos mediterrâneos comem muitos frutos do mar, outra boa opção são os óleos de peixe em cápsula, riquíssimos em ômega 3, podendo auxiliar na saúde de todas as células do corpo.

css.php