Cupom 15% OFF
Procurando data

equilíbrio

Qualidade de vida 22 de janeiro de 2019

Yoga: comece a praticar agora mesmo e sinta os benefícios!

Atualmente existem vários tipos de yoga. A prática evoluiu para se tornar uma das ferramentas de saúde complementares e alternativas mais utilizadas no mundo.

Entre seus benefícios estão: diminuição do estresse e ansiedade, melhora do equilíbrio e da flexibilidade, melhora qualidade de sono e muitas outras.

Mas antes de falarmos sobre os tipos de yoga e seus benefícios, vamos saber mais sobre o assunto!

Isso é Vital 3 de fevereiro de 2017

Acidez x Alcalinidade – você sabe como equilibrar a sua alimentação?

Você acha que o limão irá tornar o seu corpo mais ácido? Está enganado! Surpreenda-se com os alimentos que podem te ajudar a ter uma dieta alcalina.

Você se lembra de quando estudou sobre acidez e alcalinidade na escola? Então você deve saber que o fator que mede se um elemento ou composto é ácido ou básico (alcalino) é o pH. O pH vai de 0,0 (mais ácido) até 14,0 (mais alcalino), sendo que o pH 7,0 é neutro.

Eu Bem Melhor, Faz Bem Estar Bem, Isso é Vital 19 de julho de 2016

Alimentação e inflamação, compreenda essa relação

Os alimentos que você ingere podem ajudar a manter a resposta inflamatória do seu corpo sob controle e evitar doenças crônicas.

Com as doenças autoimunes em ascensão, cada vez mais os estudos têm dado atenção à ligação entre elas e a inflamação, que tem causado inúmeras mortes nos últimos anos. A boa notícia é que os estudos têm focado nas diversas formas de inflamações aparentes no corpo e em como elas podem ser controladas.

O que é a inflamação?

Algum nível de inflamação no corpo é essencial, pois é um componente chave de resposta do sistema imunológico contra invasores. O sistema imunológico envia células brancas do sangue e outros mensageiros químicos para proteger o corpo contra ameaças tais como agentes patogênicos. A inflamação refere-se ao efeito amigável que ocorre durante este processo.
A diferença entre a inflamação que protege o seu corpo e a “inflamação disfuncional” (o tipo causador de doenças), é que neste segundo tipo, as células brancas do sangue e outros compostos não diminuem quando a ameaça é extinta. Seu sistema imunológico permanece em exaustão, os revestimentos das células sanguíneas são corroídos, os tecidos saudáveis são danificados, e preparados para “receber” as doenças crônicas.

“Se a resposta inflamatória fosse desligada, não teríamos sistema imunológico para nos proteger contra vírus, bactérias, agentes patogênicos, parasitas e câncer”, diz o Dr. Katz, médico PhD e autor do livro “À prova de doenças: A verdade notável sobre o que nos faz bem”. “Nós não viveríamos muito tempo. Precisamos da inflamação para sobreviver. Mas se o nosso sistema imunológico não funciona adequadamente, a inflamação pode nos matar.” diz o médico. Sua pesquisa mostra que a inflamação está ligada a algumas das principais causas de morte nos Estados Unidos, incluindo doenças cardíacas, derrame e câncer, bem como a obesidade, diabetes e demência. Hoje em dia, até 50 milhões de americanos estão afetados por doenças autoimunes tais como artrite reumatoide, lúpus, esclerose múltipla, e síndrome do intestino irritável.

O que causa a inflamação?

Uma série de fatores no ambiente em que vivemos e em nosso cotidiano podem levar à inflamação excessiva. Cigarros, poluição, falta de atividade física, obesidade, sono inadequado, estresse e até mesmo a solidão podem debilitar seu sistema imunológico. A alimentação é um dos fatores que mais causam a inflamação, assim como, é também o melhor caminho para curá-la.
“A alimentação é o material de construção das células brancas do sangue, mensageiros químicos e hormônios,” diz o Dr. Katz. “Certos elementos encontrados nos alimentos podem ser usados para gerar compostos inflamatórios, e certos elementos podem gerar compostos anti-inflamatórios. Se você tem um desequilíbrio em sua dieta, você vai ter um desequilíbrio também no resultado dela. “

O que você pode comer para combater a inflamação?

Assim como a inflamação não é inerentemente boa ou má, o Dr. Katz destaca que, quando falamos de alimentação, não é necessário concentrar-se em bons ou maus alimentos. “As pessoas têm uma tendência a começar uma dieta com fervor religioso”, diz ele. “Mas tudo depende do contexto, é uma questão de equilíbrio.” Por exemplo, sabemos que alimentos ricos em ácidos graxos ômega 3 são anti-inflamatórios.
Pesquisadores de Harvard descobriram que o nosso corpo converte os ácidos graxos ômega 3 em compostos que provocam uma espécie de desligamento no processo inflamatório. Mas isso não significa que você deve devorá-los. “Além de serem anti-inflamatórios, os ácidos graxos ômega 3 quando consumidos em níveis extremamente elevados, podem inibir as plaquetas e evitar a coagulação.”
Para nós, no entanto, consumir mais ômega 3 faz sentido, porque vivemos em um mundo onde ácidos graxos ômega 6 (promotores de inflamação) são encontrados com frequência em alimentos como frituras e industrializados. Minimizando o consumo desses alimentos e ingerindo mais opções de alimentos ricos em ômega 3, como sardinha, salmão, atum, arenque, linhaça e nozes, ou suplementando com suplementos de boa qualidade e isentos de metais tóxicos, já estaremos colaborando com o equilíbrio do nosso organismo e um sistema imunológico saudável.

“Nada precisa ser eliminado”, diz Dr. Katz. “Meu conselho pessoal é que você coma alimentos saudáveis. Se você conseguir manter uma dieta composta de alimentos nutritivos, como frutas, legumes, cereais integrais, feijões, lentilhas, óleos vegetais, peixes, carnes e ovos, você acaba recebendo os nutrientes que precisa para manter a inflamação sob controle. “Também sobra pouco espaço para itens inflamatórios como gorduras saturadas e amido refinado. Mas, se você ingeri-los de vez em quando, seu corpo já estará preparado para afastar os compostos causadores da inflamação, graças aos nutrientes que compõem a maior parte da sua dieta.

Para Dr. Katz, uma referência de dieta saudável baseia-se em muitos dos alimentos encontrados em uma dieta de estilo mediterrâneo. “Seguir este tipo de dieta pode reduzir riscos de inflamações e consequentemente, riscos de doenças.” diz ele. Em um estudo publicado na revista Blood, pesquisadores encontraram uma associação entre dieta mediterrânea e níveis mais baixos de plaquetas e glóbulos brancos. Outras pesquisas têm atribuído a dieta mediterrânea à uma diminuição do risco de doença de Alzheimer, diabetes, acidente vascular cerebral, ataque cardíaco, doença arterial coronariana, e muito mais.

O papel do Ômega 3 na inflamação
Os ácidos graxos ômega 3 atuam como inibidores de substâncias químicas produzidas naturalmente pelo organismo humano durante um processo inflamatório. Eles possuem ação anti-inflamatória, ao reduzir a síntese de derivados do ácido araquidônico: prostaglandina, tromboxano A2, prostaciclina e leucotrieno B4. A suplementação com ácido graxo ômega 3 pode ser valiosa, principalmente na abordagem de doenças que exijam tratamento crônico com anti-inflamatórios.

“Controlar a inflamação através da dieta pode ser bastante simples”, diz Dr. Katz. “O consumo de alimentos saudáveis juntamente com a prática de exercícios, dormir o suficiente e passar tempo com as pessoas que amamos, é a fórmula para viver uma vida mais longa. As pessoas que vivem dessa forma não são apenas saudáveis, elas são também mais felizes. No final, o equilíbrio é o que vai fazer você chegar lá.”

Destaques, Eu Bem Melhor, Faz Bem Estar Bem, Isso é Vital 10 de março de 2016

Os surpreendentes benefícios de andar descalço

Andar descalço é como descobrir uma nova fonte de juventude. Quando nossos pés, joelhos, quadris e costas já não ficam mais sem dor, estamos mais propensos a ser ativos novamente. Você vai se sentir mais jovem, seu corpo vai agir como se estivesse mais jovem, e você vai ficar mais forte e mais ativo do que você já esteve há muitos anos! Sua mente se tornará mais nítida e sua concentração mais específica.

Andar descalço funciona como despertar uma luz, passo natural no corpo, através da mensagem que recebemos dos nossos pés tocando o chão. Há menos impacto e pressão do que quando calçados, andar descalço reaviva músculos que ficam atrofiados em nossos sapatos, desperta terminações nervosas e nosso sistema de equilíbrio, estimula pontos de reflexologia na parte inferior de nossos pés, e ainda tem benefícios anti-inflamatórios através do aterramento. Isso tudo significa um corpo mais forte, menos dor nas articulações, melhor postura, mais mobilidade, mais saúde e maior liberdade.

Aqui estão alguns dos principais benefícios para a saúde:

  • Maior equilíbrio

Ao sentir o chão, as pessoas começam a despertar o sistema vestibular (sistema de equilíbrio) do cérebro, estimulando novas conexões neurais e remapeamento de suas mentes para um maior equilíbrio. Para os idosos isso é fundamental, porque uma queda ou fratura do quadril pode levar a um declínio gradual na saúde.

  • Maior força

Ao andar com os pés descalços começamos a despertar novos músculos, tanto para o equilíbrio quanto apoio.

  • Pés mais saudáveis

O corpo trabalha sob o princípio use-o ou perca-o. Se você usa algo, você o mantém, se não usa, ele atrofia. Quando as pessoas começam a andar com os pés descalços, os pés despertam e começam a se fortalecer novamente.

  • Menos problemas para os pés

Conforme fortalecemos os pés, a fascite plantar diminui, neuromas do pé vão embora e as joanetes começam a se dissipar. Mesmo a artrite começa a se curar lentamente à medida que os pés desenvolvem mais força, flexibilidade e fluxo sanguíneo.

  • Maior circulação

Andar descalço não só acorda os músculos dormentes dos pés e pernas, como aumenta o fluxo de sangue para estas áreas. Este aumento do fluxo sanguíneo significa menos dores, menos varizes, os pés e  as pernas mais quentes no inverno.

  • Melhor postura

Pelo fato de andarmos sempre calçados, somos forçados a projetar nossos quadris para trás e para a frente, forçando nossas costas, parte superior das costas, ombros e pescoço para evitar possíveis quedas. Uma vez que estamos descalços, podemos começar a reverter isso. Ao sentir o chão, as terminações nervosas na parte inferior de nossos pés começam a nos enviar informações de equilíbrio. Além de melhor postura e equilíbrio, reduzimos muito todo o estresse e tensão em nosso corpo.

  • As crianças mais saudáveis

Saúde começa com os pés. A Associação Pediátrica Americana recomenda manter as crianças descalças o maior tempo possível, porque os sapatos enfraquecem e deformam os pés. Mantenha-os descalços e eles serão saudáveis! Não só isso, mas o ato de sentir o chão fortalece os seus sentidos e ajuda remapear o cérebro. De acordo com Dr. Merzenich, um dos maiores neuroplásticos do país, a estimulação de andar descalço ajuda a melhorar a memória, atenção, concentração e inteligência!

  • Diminuição da pressão arterial

Estudos mostram que, ao estimular as terminações nervosas na parte inferior dos pés, podemos diminuir a pressão arterial e a ação do cortisol. Em outras palavras, diminui o estresse e inflamação por todo o corpo.

  • Reduz a inflamação

Por último, mas não menos importante, andar descalço demonstrou reduzir a inflamação. De acordo com muitos estudos recentes, a inflamação é a causa número um de doenças no século 21 (doenças a de Alzheimer, artrite, autismo, câncer, doenças cardiovasculares, diabetes, asma, anemia, lúpus, esclerose múltipla, e todos relacionados com a inflamação). Uma solução possível pode ser o aterramento, o processo de redução da inflamação, caminhando, em pé ou mesmo sentado com os pés descalços no chão.

Estudos têm demonstrado que os radicais livres, agem nos responsáveis ​​pela inflamação transportando uma carga positiva. Embora essas partículas de carga positiva desempenhem um papel importante em nosso sistema imunológico – a resposta de cura, se não temos uma maneira de drená-las, elas se acumulam em nossos corpos, criando excesso de inflamação e danos em células e tecidos.

Enquanto isso, a terra naturalmente carrega uma carga negativa grande. Esta é a diferença de polaridade ou carga entre seu corpo e outro, é por isso que você leva choques no inverno, ao tocar em outro objeto. É a forma do seu corpo descarregar essa carga indesejada. O contato direto com o solo também nos permite descarregar os radicais livres.

  • Benefícios de reflexologia

Reflexologia é o processo de estimular nervos na parte inferior dos pés para estimular o sistema imunológico, reduzir a inflamação e dor, reduzir a pressão sanguínea, reduzir o stress e tensão, e para estimular a muitos outros processos de cicatrização do corpo. Estudos têm mostrado grandes benefícios de reflexologia em andar descalço e estimular as solas dos pés.

css.php